sábado, 31 de dezembro de 2011

Obrigada 2011! Bem-vindo 2012!


Boa noite, meninas,

E chega ao fim mais um ano...

Para mim, um ano muito bom, graças a Deus!

Apesar dos momentos tensos, difíceis (quem é que pode dizer que não viveu momentos às vezes complicados?), agradeço a Deus por cada dia vivido.

Agradeço por ter tido a chance de estar ao lado das pessoas que amo, de ter aprendido coisas novas, por ter feito novas amizades, pelo meu novo emprego, por ter trabalhado muuuuito (apesar de ter reclamado bastante de cansaço!), pela minha saúde e de todos os meus familiares e pessoas queridas.

Não poderia deixar de agradecer muito a Deus por ter me dado forças para me dedicar ao meu emagrecimento.  Termino este ano vitoriosa neste sentido:

  • Eliminei 13,5Kg em 2011, totalizando 25 Kg a menos, desde meu maior peso, em 2009.
  • Completei 8 meses sem doces, chocolates e sorvetes - exatamente 243 dias.  Consegui me controlar também no Natal, mesmo cercada por diversos doces deliciosos!

Já fiz minha listinha de “tarefas” e desejos para 2012.

Continuar emagrecendo é, com certeza, um dos itens principais, especialmente porque preciso preparar o meu corpo para que esteja o mais saudável possível até julho.

A partir do segundo semestre, tentarei realizar um grande sonho: ter um filho.

Quero engravidar estando pelo menos na faixa de peso saudável e não mais no sobrepeso.

Que Deus continue ouvindo as minhas preces e guie os meus passos para que eu possa fazer sempre o meu melhor!

Desejo a vocês também o mesmo meninas, além de muita luz, paz e saúde. Muito obrigada por todo o apoio e ajuda!

Que os anjos digam AMÉM aos seus sonhos!  E que todas possamos fazer a nossa parte para realizá-los!

Bem-vindo 2012!

Beijos,

P.S.: Estou preparando o meu segundo “antes e depois”, com novas fotos que encontrei em que eu estava beeeem redonda e com fotos atuais.  Em breve...

sábado, 24 de dezembro de 2011

Um "Feliz Natal" 365 vezes para vocês!


Boa noite, meninas!

Como vão?  Espero que todas muito bem.  Eu estou muito feliz, pois gosto muito desta época do ano.

Sinto que as pessoas ficam mais fraternas, mais sorridentes, mais felizes.  Hoje mesmo uma vizinha que eu raramente vejo me encontrou no hall do prédio e, ao sair do elevador em seu andar, fez questão de me desejar um feliz Natal, dizer coisas bonitas e em seguida me deu um abraço.  Pode parecer ingenuidade minha, mas esses momentos me fazem pensar e me emocionam.  Ela simplesmente poderia ter descido e dito boa tarde, ou nem mesmo isso.  Pode parecer piegas, repetitivo, mas eu adoro desejar um Feliz Natal para as pessoas...

É uma pena que esse sentimento de desejar o bem esteja tão concentrado apenas neste período.  Já pensou que lindo se todos desejassem e fizessem coisas positivas às outras pessoas o tempo todo?  Meu Deus, como o mundo seria mais feliz!  É uma pena sermos tão desequilibrados e perdermos tempo com coisas às vezes tão irrelevantes... É uma pena deixarmos que coisas sem importância como o trânsito ou um plano que não saiu exatamente do jeito que queríamos, tomem lugar de pensamentos positivos e construtivos em nossas mentes... Eu me envergonho muito disso em mim e quero mudar!

Mudei muitas coisas neste ano de 2011, para muito melhor, graças a Deus!  Estive revendo minha listinha de “coisas a fazer” que preparei na última semana de 2010 e cumpri muitos itens.  Fiquei feliz com o meu desempenho.  No entanto, tudo que fiz foi voltado para mim, para o meu aprimoramento pessoal, profissional, estético.

O item não cumprido que mais me envergonho: dedicar-me aos outros, a um projeto social, doar o meu tempo para ajudar a quem precisa.

Dediquei-me muito a mim mesma, me resgatei, evoluí e agradeço a Deus por ter tido as condições para isso.  Agora, além de continuar nesse caminho, do bem-estar, do amor próprio, das escolhas sábias e duradouras, quero também me voltar para o próximo.  Tentar buscar o melhor em mim para fazer o meu melhor para o próximo.

Quero que o “espírito de Natal” esteja presente em minha vida em todos os 365 dias do próximo ano e em todos os dias da minha vida.  Se as pessoas não fossem me achar uma louca desvairada eu falaria “Feliz Natal” a todos durante o ano inteiro!  Risos.... Mas isso talvez causasse um certo desconforto em quem estivesse me ouvindo.... ou motivo de internação para mim!  Então, em segredo, em minha mente, quero me comprometer comigo mesma a tentar olhar o mundo com esse espírito, com essa vontade de que todos sejam realmente muito felizes e tentar fazer aquilo que estiver ao meu alcance para ajudar.

Queridas, desejo a todas um Natal iluminado, repleto de amor e alegria junto aos seus familiares e amigos.  Que todas possam compartilhar momentos muito felizes ao lado dos seus e que o verdadeiro espírito do Natal – de união, reflexão e fraternidade – possa estar presente em todas as celebrações.

Que a bondade do menino Jesus renasça em nossos corações a cada amanhecer do novo ano que se aproxima!

Beijos,

sábado, 17 de dezembro de 2011

-25 Kg!

Boa noite meninas!

Hoje passei por aqui rapidinho para comemorar com vocês uma marca histórica em minha vida:

- 25 Kg!

Sinto-me muito mais leve e feliz.  Não é para menos!  Olhem só o que eu eliminei:



O equivalente a 5 sacos de arroz...

A cada dia que passa, estou mais certa de que todas as privações estão valendo a pena.

O caminho ainda é longo, mas graças a Deus, sinto que estou na direção certa!

Obrigada por todo o apoio e por dividirem comigo as alegrias e agruras desta jornada!

Beijos e um lindo final de semana a todas.

domingo, 11 de dezembro de 2011

Eu não te reconheci! Como você mudou!


Boa noite, meninas,

“Eu não te reconheci!  Como você mudou!”

Estas foram as frases que mais ouvi no jantar de confraternização de final de ano do escritório em que trabalho.

Explico: o jantar aconteceu na residência de um dos meus chefes, com quem já trabalho há vários anos.  Revi pessoas que não via há muito tempo como a esposa dele, as funcionárias que trabalham lá e namoradas e esposas de outros membros do escritório.

Todas me disseram o quão diferente eu estava e me elogiaram muito pelos resultados alcançados.

Que sentimento bom!  Como é gratificante perceber que algo que eu quis muito está acontecendo e que o sucesso se deve ao meu esforço pessoal.  Sonhei muito em deixar em ser gorda.  Quando DECIDI de verdade transformar esse sonho em realidade e aceitei o preço que pagaria por isso (privações e mais privações), os resultados começaram a aparecer.

Nos últimos tempos, o meu emagrecimento tem ocorrido bem mais lentamente que o desejado.  Em 2012 quero me comprometer ainda mais comigo mesma para que eu possa emagrecer o máximo possível até junho ou julho.  Então começarei a segunda fase de preparativos para realizar outro sonho (talvez o maior de todos que já tive): ter um filho! A primeira fase já está em processo: emagrecer, fazer exames, cuidar da saúde...Que os anjos digam AMÉM!

Bom, agora vou atualizá-las um pouquinho sobre meus últimos dias...

Depois da viagem a Jaú, achei que o peso aumentaria, mas, milagrosamente, baixou.  Estou pesando 67,4Kg.  Depois de tanto tempo na casa dos 68, dar um passinho a mais em direção ao meu sonho me deu uma injeção de ânimo!

Desanimada eu fiquei com os resultados dos meus exames de sangue.  Quando estava bem mais gorda, meus níveis de colesterol estavam na categoria considerada limítrofe e meu nível de tolerância à glicose me colocava na categoria de pré-diabética.  Com pais, avós e tios diabéticos meu destino não seria outro!

Com muitos quilos a menos, meu nível de colesterol agora aumentou.  Como isso é possível?  Minha alimentação está muito melhor.  Não consegui encontrar uma explicação.  Na quinta-feira tenho consulta com a endocrinologista e espero que ela consiga me esclarecer o que aconteceu.  Pelo menos o nível de glicemia está ótimo.  Esse não tinha como não estar meeeesmo.  Lá se vão mais de 7 meses sem doces, chocolates e sorvetes!  Já perdi a conta de quantas e tantas tentações às quais resisti bravamente!

Mas, como ninguém é de ferro, cedi a uma tentação que, confesso, é um dos meus pontos fracos....Chocolate, bolachinha, sorvetinho?  Nãããão...

Comprinhas! :o)

No sábado pela manhã fui à 25 de março.  Para quem não conhece, a região da rua 25 de março é repleta de lojas de bijuterias, quinquilharias e todas as mais legais “rias” que vocês puderem imaginar.  Desde adolescente me divirto passeando por lá.  Como eu sempre morei perto do centro de São Paulo, às vezes, quando estava sem $$, ia até lá só para andar, ver as novidades e voltava para casa sem nada.

Como eu sei que a região fica entupida de gente nessa época, acordei às 6:30, tomei meu café da manhã, me arrumei e às 8:00 em ponto estava lá.  Fiquei pasma com a quantidade de pessoas que também fizeram o mesmo!  Por volta das 10:30 a rua estava tão lotada mas tão lotada que...bom, deem uma olhadinha na imagem abaixo...


Estava mais ou menos assim!

Mas eu me diverti...Comprei presentes para amigas e todas as mulheres da família e para mim também (claro!).  Uma boa forma de economizar é comprar em lojas que dão desconto nas peças se você comprar no atacado, mas permitem que você leve peças diferentes, não te obrigam a levar 5 ou 10 peças do mesmo item.  Foi o que eu fiz! :o)

Bom, minhas queridas, é isso.  Esse foi o meu “update” sobre as últimas semanas.

Espero que todas vocês estejam muito bem e que a perspectiva da chegada do próximo ano lhes dê (assim como a mim) muito ânimo e desejo de fazer o que for necessário para alcançar seus objetivos.

Uma linda semana a todas.

Beijos,

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Retratos de viagem - quanta diferença!


Boa noite meninas queridas!

Gostaria de agradecer mais uma vez a todas pelas mensagens de carinho e apoio em meu último post.  Muito obrigada mesmo, de coração!

Quanto ao peso, sem novidades.  Acho que agora deve ter dado uma subidinha porque eu assumo que abusei um pouquinho no final de semana!  Vamos ver na próxima sexta-feira.  Mas a “abusadinha” foi em função de uma viagem que fizemos, então, acho até que não foi tão grave (e valeu a pena)...

Ao fuçar em meu armário na sexta-feira passada para tentar encontrar o meu maiô (sim, no singular – eu só tenho um maiô e nunca sei onde ele está – dá para perceber que a Branca de Neve aqui não toma sol né?), encontrei a belezura abaixo e tive que digitalizar para mostrar para vocês.


Análise:

  • A gorducha aqui, com a carinha toda tortinha, fica toda feliz na fila da montanha-russa quando percebe que a fila parou nela e que irá somente na próxima viagem.
  • Chega a próxima viagem e a gorduchinha sai correndo para pegar o primeiro carrinho.
  • Toda feliz levanta as mãozinhas na descida...Eeeeeee....Iuuuupiiii....
  • Ao sair do brinquedo, fica toda contente com o “close” (mesmo considerando a situação da “carinha” da “criança”).
  • E, para concluir, compra a foto!


Isso é que é felicidade!  Eu era feliz e não sabia... :o)

************************************************************

Voltando ao maiô...

Meu marido me fez uma proposta irrecusável na quinta-feira.  De tanto reclamar que nos últimos tempos minha vida se resumia somente a trabalho, ele me convidou para ir para Jaú (minha cidade Natal), no interior de São Paulo, conhecida como a capital do calçado feminino.  Ãh?  Tá falando sério?  Viajar de 3h30 a 4h para comprar sapato?  Claaaaaaro que sim.  :o)  E lá fomos nós! Eeeeeeee...

Jaú possui diversas fábricas de calçados que oferecem produtos de boa qualidade com ótimos preços, tanto no atacado como no varejo.  Eu nasci lá, mas vim para a capital quando era bebê (apenas 7 meses).  Fui a Jaú inúmeras vezes, mas nunca tinha comprado um parzinho sequer, muito menos visitado o que é considerado o maior shopping de calçados da América Latina (Território do Calçado).  Na verdade é um shopping de tamanho normal, mas com lojas somente de sapatos.  Capaz de enlouquecer qualquer mulher!  Os preços e a qualidade realmente valem a pena.

Para mim, que sou da “terrinha”, a viagem teve ainda outra motivação.  Apesar de já ter visitado a cidade diversas vezes, principalmente na infância e adolescência, nunca tinha me preocupado em conhecer com calma os locais de importância histórica e também aqueles significativos para a história da minha família.

Nesta viagem, tivemos tempo para isso.  Fui à igreja em que meus pais se casaram.  Quando subi as escadarias, fiquei pensando no que se passava pela mente da minha mãe há mais de 44 anos.   Passei em frente ao colégio em que meu avô (já falecido) trabalhou por mais de 30 anos.  Visitei o mercado municipal, aonde sempre ia com minha avó (também falecida).  Passei em frente ao colégio em que minha mãe estudou, vi cavalinhos e burrinhos iguais aos que o meu outro avô (que também já se foi) tinha...Lembrei do meu outro tio, que era sapateiro...Em Jaú é impossível não conhecer alguém que não trabalhe na área!  Tantas lembranças.  Muita, muita saudade!  E a certeza de que o amor não acaba nunca!  Onde quer que todos eles estejam, tenho certeza que sentiram a minha alegria por ter ficado um pouquinho mais perto da história deles, mesmo que tão rapidamente.

Seguem abaixo algumas fotinhos do passeio e das minhas raízes, ou das minhas “orige”, como eu costumo brincar...

E o maiô, onde entra nessa história?  Ficou guardado na mala...Tinha a intenção de aproveitar a piscina do hotel, mas os sapatos e o tour histórico/familiar não permitiram!!!

Comparando as fotos do Hopi Hari e da última viagem, consigo visualizar melhor o resultado do meu esforço.  A luta continua!

Uma liiiinda semana a todas!

Beijos,



************************************************************
Eu, toda feliz!

Casarões do início do século, muito comuns em Jaú.

Igreja Matriz Nossa Sra. do Patrocínio
(onde meus pais se casaram)


Mercado Municipal de Jaú, o "Mercadão".



segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Por que tanta falta de seriedade?

Olá, meninas,

Infelizmente, não tenho nada de muito animador para contar.

Na sexta-feira me pesei e, acreditem ou não, a balança me mostrou exatamente o mesmo peso.  Exatamente igual, nem menos, nem mais.  Não estou me dedicando aos exercícios?  Verdade.  Comi um pouquinho a mais num dia ou no outro.  Verdade.  Mas nada que justificasse a paralisia aguda da balança.  Meu marido me pergunta: como isso é possível?  Não sei.  Se eu tivesse a mesma “sorte” jogando na loteria já estaria milionária!

Mas, sinceramente, isso foi o que menos ocupou a minha cabeça nos últimos dias.  Na quarta-feira, um tio meu faleceu e me fez pensar muito sobre a vida, o que fazemos com ela, a relação com as pessoas, o valor do tempo.  Desculpem-me por não ter escrito no Blog Desafio das Estações na quinta-feira.  A notícia chegou na quarta à noite e eu fui me lembrar do post só no sábado pela manhã...

Ele faleceu em função de um erro médico, o que deixou a todos inconformados.  Ele teve que fazer uma cirurgia no coração há 15 dias para colocar uma ponte de safena e, em função de um dreno que não funcionou, acabou falecendo.  Como é possível ninguém da equipe médica e de enfermagem da UTI ter percebido que o dreno não estava funcionando?  Eles tratam de pacientes nesta situação todos os dias.  No que eles estariam pensando?  Por que não fizeram o trabalho deles direito?  Quando o cirurgião responsável voltou para visitá-lo no dia posterior, percebeu a falha e ele teve que se submeter a outra cirurgia para tirar todo o sangue coagulado.  Aí foi complicação atrás de complicação até que ele não resistiu.  Só não falo o nome do hospital aqui porque não sei, fica em Ourinhos, interior de São Paulo.

Há alguns meses, meu sobrinho de dois anos ficou internado no hospital Nossa Sra. do Sabará aqui em SP (considerado um dos melhores no tratamento infantil) e também foi vítima de erro médico.  Graças a Deus, ele está vivo, mas poderia não estar.  Ele teve uma doença chamada Doença de Kawasaki e ficou alguns dias internado.  Essa é uma doença de difícil diagnóstico porque se confunde muito com sintomas de gripe e meningite.  Quando finalmente conseguiram diagnosticar qual era o problema, ele teria que tomar quatro doses de um remédio (aplicado na veia com ele ainda na UTI).  Esta aplicação duraria 24h.  Deram a primeira dose numa noite e, quando amanheceu, a minha cunhada percebeu que havia acabado.  Perguntou à enfermeira e à médica do turno por que tinha acabado tão rápido, já que disseram que demoraria 24h.  Falaram que a médica anterior havia decidido acelerar a dose para terminar mais rápido.  Minha cunhada perguntou de novo para outra enfermeira, a mesma resposta.  Depois de algumas horas, outra enfermeira voltou para o quarto com outra dose, dizendo que precisaria dar outra aplicação.  Aí meu irmão e minha cunhada pararam tudo e exigiram falar com o infectologista responsável pelo caso.  Foi uma confusão no hospital, meu irmão até ameaçou chamar a polícia.  Depois de muita confusão, resumo da história: a enfermeira da noite havia colocado no prontuário dele que a medicação tinha terminado.  A enfermeira da manhã não confirmou a informação.  A médica também não.  Minha cunhada perguntou e, por medo do que pudesse acontecer se dissessem que elas tinham errado, mentiram.  Aí vieram com a história de que precisariam dar outra dose, para tentar corrigir o engano sem que eles percebessem... Só que, se meu sobrinho não tivesse tomado a medicação no prazo máximo de 10 dias a partir da manifestação da doença, ele poderia ter um aneurisma no coração, que poderia levá-lo a óbito ou a complicações no coração por toda a vida!  Como isso é possível?  Por que tanto descuido?  Por que tanta falta de comprometimento, seriedade, amor ao próximo?   Graças a Deus a história dele teve um final feliz, porque depois de tudo esclarecido, ele tomou o restante da medicação e ficou bem.

Peço desculpas por tratar destes assuntos num blog cujo objetivo principal é falar sobre emagrecimento.  Além da tristeza pelo falecimento do meu tio, especialmente por saber o que representava na vida dos meus primos, da minha tia, da minha mãe, a falta de seriedade que se vê em tudo me dá um desânimo enorme.  Por que as pessoas não se preocupam em fazer as coisas com esmero e eficiência?  Por que tudo tem que ser tão mal feito?  A cada dia que passa, tenho a sensação de que cada vez mais as pessoas se contentam em fazer o mínimo..E, muitas vezes, nem mesmo o mínimo, como no caso do meu tio.  A enfermagem da UTI tinha a obrigação de perceber que o dreno não estava funcionando!  Será que quem não percebeu está agora se martirizando por ter sido responsável pela morte de outro ser humano?  Provavelmente não.  Deve estar sim assistindo à novela da Globo, satisfeita em viver uma vida que não é a sua, ou comemorando pela vitória do seu time de futebol.  Lamentável.  Desprezível na minha opinião.

Eu trabalho como assistente executiva, um trabalho totalmente administrativo.  Quando erro, fico me punindo, sinto-me realmente muito mal.  E o meu trabalho, se for mal feito, não vai matar ninguém...

Essa falta de zelo, seriedade e amor ao próximo realmente me tira o ânimo e me deixa muito áspera!

Desculpem-me pela sinceridade, pelo longo post e pelo mau-humor...

A mensagem que eu gostaria de passar é de que eu acredito que temos a obrigação de fazer nossas atividades de maneira bem-feita, sejam elas relacionadas ao nosso trabalho, ao cuidado com nossos parentes e amigos, à educação de nossos filhos, sobrinhos, no trato com nossos pais, que já fizeram tanto por nós...Eu acredito profundamente nisso...Por isso me decepciono tanto quando uma simples tarefa mal executada causa danos tão grandes como a morte de outro ser humano...

Espero que a semana de vocês seja muito boa e iluminada.  Eu vou tentar fazer a minha parte para que a minha e a daqueles próximos a mim possa ser, senão iluminada, pelo menos produtiva e positiva.

Beijos,

P.S. – Prometo um próximo post mais leve e feliz, tá! :o)

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Dilemas...

Boa noite, meninas,

Passando por aqui rapidinho para dizer um “oi” nessa noite chuvosa em São Paulo.  Que diazinho mais feio hoje viu!  Tomara que o tempo melhore amanhã, assim quem estiver de folga vai poder aproveitar um pouquinho do feriado!  É, quem estiver de folga, porque euzinha aqui não estarei!  Mas nem por isso vou agourar o feriado de 99% da população de São Paulo, certo?  Ai, ai, ai...Fazer o que, né?  Quem mandou não nascer “Tamborindegui Castello Branco de Carvalho Costa Aguiar + uns 3 nomes”?  Trabaaaaaaalha...

Bom, agora vamos à atualização...

Como escrevi no último post, adotei a pesagem quinzenal, então não tenho novidades em relação ao assunto.  A próxima pesagem será na sexta-feira.

Algo importante que fiz nos últimos dias foi ir à ginecologista.  Conversei bastante com ela sobre a minha ansiedade em emagrecer tudo que preciso versus engravidar.  Ela recomendou que eu emagrecesse tudo que conseguisse até pouco antes de completar 35 anos e então começasse a tentar engravidar, independentemente de ter chegado ao peso que considero ideal ou não.  Como ela disse, a partir dos 35 anos as chances de uma gravidez natural ocorrer vão ficando cada vez mais difíceis e ficar adiando por um motivo ou por outro pode fazer com que eu tenha problemas em relação a isso.  Ela me pediu diversos exames (que eu ainda não fiz, mas vou tentar agendar para a próxima semana) e ficou muito satisfeita quando contei sobre o meu emagrecimento, especialmente em função do meu histórico familiar de diabetes e pressão alta.  Fiquei muito contente porque foi a primeira vez que fui a um médico (que não a endocrinologista) e fui elogiada pela forma como cuidei da minha saúde.  E olha que a médica devia pesar uns 45Kg....Risos...Mesmo assim, valorizou toda a minha luta e disse ter certeza que serei uma gestante exemplar nesse sentido.  Será?!  Agora, vou ter que fazer jus à fama! Risos...

Outro assunto.  Estou “em crise” com os meus cabelos.  Explico: faz muito tempo que adotei os cabelos curtos como opção, já que eu me sentia muito esquisita sendo gorducha com os cabelos compridos.  Na minha cabeça não combinava.  Quando retomei o emagrecimento em maio deste ano, decidi que deixaria os cabelos crescerem...Eles são ondulados, quase lisos, mas preciso ajeitá-los com a escova e secador toda manhã para ficarem modelados.   Só que agora eles estão tão fraquinhos nas pontas, quebradinhos que a vontade de “tosar” cresce a cada dia.  Motivos:

  1. Eles ficam muito mais saudáveis curtos.
  2. É bem mais fácil de ajeitar toda manhã!
  3. Sinto-me mais jovem.  Eu sei, eu sei...Tô em crise também com a idade, sentindo-me velha, etc.....Mas, vamos deixar este assunto para outro post...

Antes de fazer algo que pode demorar muito para que consiga corrigir, decidi pedir a ajuda de vocês.  Alguém saberia me indicar algum tratamento para cabelos que realmente faça com que eles fiquem mais saudáveis e fortes?  Tipo “banho de argila da Tanzânia” ou “máscara de cristal da Mesopotâmia”...Algo do tipo...Se for mais simples e fácil de encontrar, melhor ainda! :o)

Bom, queridas, é isso.  Por hoje é só!  Espero que o feriado de todas vocês seja lindo e iluminado.  O meu vai ser também, no escritório, fazendo arquivo, mas vai!  O importante é sempre manter o positivismo, certo?

Beijos,

terça-feira, 8 de novembro de 2011

Ânimo renovado!

Boa noite meninas,

Sentindo-me bem e motivada.  Feliz! :o)

Finalmente, a minha bonequinha “Lily Slim” andou um pouquinho.  Eu acho que o que aconteceu na realidade foi que algum ser extraterrestre daqueles bem gorduchos e babosos aplicou um raio paralisante nela e, em função disso, a coitadinha não andava de jeito nenhum, ficava ali, paradinha, fazendo carinha de feliz para disfarçar.

Agora, falando sério, a “Lily Slim” a que me refiro é a bonequinha da reguinha onde marco o meu controle de peso.  Finalmente, a lindinha andou: -700g.  Não é muito considerando que se passaram duas semanas desde a última pesagem, mas para quem já estava há mais de um mês e meio sem sair do lugar, andar um pouquinho já dá uma injeção de ânimo.

Na semana passada, venci mais um desafio pessoal.  No dia 02, fui à festa do meu sobrinho e afilhado Felipe que completou 9 anos e, logicamente, estava repleeeeta de comidinhas gostosas.  Comi salgadinhos sim, sem sentir-me culpada, já que não exagerei.  Consegui comer moderadamente.  E, mais uma vez, não comi doces.  O comentário geral era de que estavam maravilhosos, mas eu consegui!  Vitória! 190 dias sem doces!

Além disso, revi vários familiares que não via há algum tempo.  Tios, tias e primas comentaram como eu emagreci e me elogiaram muito.  Nossa, como isso é bom!  Sempre gostei de reuniões familiares, mas confesso que principalmente nos últimos anos, elas me deixavam um pouco nervosa.  Ficava muito ansiosa por saber que encontraria com as pessoas e elas me veriam mais gorda...Porque eu sabia que a cada dia que passava eu estava mais e mais gorda.  É muito bom agora ser admirada pela minha força de vontade e não mais vista como a gorda desleixada, feia e “sem-vergonha”.  Sinto-me ótima e curto ainda mais as reuniões familiares!

Bom, queridas, por hoje é só, vou ficando por aqui com esse sentimento ótimo de autoestima e superação.  Seguem abaixo algumas fotinhos do aniversário do meu querido Fefe.

Ah, antes que me esqueça.  Vou adotar a pesagem quinzenal já que, psicologicamente, percebi que isso funciona melhor para mim!

Uma linda semana para vocês.

Beijos,



**************************************************************



Ele vesguinho e eu com cabelo no olho mas até que gostei da foto!

Fefe, eu e minha irmã!

terça-feira, 1 de novembro de 2011

Mais de 6 meses sem doces!

Bom dia meninas,

Mais uma rápida passadinha por aqui para dizer um “oi”, afirmar que continuo na luta e pedir desculpas pela ausência.  Queria muito ter mais tempo para dedicar-me ao blog, às visitas, enfim, aos meus gostos, a mim mesma!  Mas, como a vida nem sempre é exatamente do jeito que a gente quer, tem que se dar um jeito certo? 

Nossa, agora fiquei sonhando....Se a minha vida pudesse ser exatamente do jeito que eu desejasse, acho que eu viveria viajando...Como é bom viajar né? Ai, ai....Bom, deixa eu parar por aqui senão daqui a pouco eu vou é viajar na maionese porque férias antes de agosto do ano que vem, nem pensar, então....Trabalha, trabalha, trabalha.  Foca Ieda, foca.  Concentra!

Não tenho muitas novidades...Desde que jaquei conscientemente no final de semana retrasado, não me pesei mais.  Minha próxima pesagem será na sexta-feira, dia 04.  Na semana passada segui a RA, mas tive dois deslizes: na quinta-feira à noite comi duas esfihas e na sexta-feira à noite dois pedaços de pizza.  Infelizmente, não tive pique nenhum para os exercícios.  Eu sei que estou completamente errada e sei que não posso continuar assim.  Não há desculpas para isso, por mais cansada, estressada ou qualquer outro “ada” que eu possa vir a estar.  Espero conseguir me disciplinar em relação a isso.  Eu tenho fé!  Estou ansiosa pela pesagem da sexta...Vamos ver se alguma coisa mudou.

Agora vamos falar um pouquinho de vitórias...Algo de que me orgulho muito são meus 182 sem doces, chocolates e sorvetes.   Eu nunca imaginei que pudesse ficar sem por mais de 6 meses...Hoje ganhei de uma das minhas chefes uma caixa de chocolates Lindt (daqueles que vendem no Free Shop dos aeroportos).  Ô tentação!!!  Resisti bravamente.  Quando cheguei em casa, encontrei com meu sobrinho no pátio do prédio que logo viu a caixa e foi pedindo: “Huuuummmm....chocolate....Me dá um pouco tia?” “Claro meu amor, toma, dá para seus amiguinhos também.”....E lá se foi quase meia caixa....A outra metade eu trouxe para o meu marido, afinal ele não merece ser privado desses chocolatinhos deliciosos só porque eu não quero comer, né?  Agora eles estão lá, na geladeira, bem geladinhos....Mas eu sou muuuuito mais forte!  Não vou deixá-los dominar o meu cérebro não...

É isso meninas.  Vou tentar estar mais presente, apesar de estar difícil até para digitar porque, além da falta de tempo generalizada, a pessoa atrapalhada aqui conseguiu arrancar mais da metade da unha do dedo mindinho da mão esquerda quando estava depilando a perna.  Como eu consegui fazer isso?  Nem eu sei até agora.  Só senti quando a lâmina encaixou na unha e eu, num movimento involuntário, puxei....Ai.  Doeu!  Muito!  Coisas de pessoas bem jeitosinhas...

Uma linda semana a todas.
Beijos,

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Jacada consciente?

Boa noite, meninas.

Passei por aqui só para dizer que eu não desisti!

A razão do meu sumiço?  Trabalho, trabalho, mais trabalho e, para ser bem sincera com vocês, um pouco de cansaço em função do peso permanecer estacionado.

Infelizmente, estou naquele estágio conhecido como “efeito platô”, quando o seu corpitcho (inteligente que só!) “resolve” que não vai mais te deixar emagrecer, porque ele acha que, se continuar queimando as gordurinhas, o seu destino será o além!  Vai ser burro assim lá no... Ai, às vezes eu perco a paciência viu!

Já li bastante sobre o efeito platô e estou tentando organizar minhas estratégias para sair deste estágio.  Intensificar a atividade física, mudar a alimentação variando os alimentos ingeridos, utilizar o auxílio de termogênicos talvez.

No último final de semana eu jaquei conscientemente, se é que isso é possível.  Explico: li em alguns websites (especialmente em sites voltados para praticantes de halterofilismo) que, quando o corpo entra nesse processo de estocar gordura a qualquer custo (porque, como disse acima, ele “pensa” que o indivíduo poderá chegar a óbito se continuar queimando), uma estratégia muito utilizada é justamente dar mais comida, mais calorias, mais gordura.  

Assim, o “inteligente” “entende” que você não o está colocando numa situação de perigo fatal e começa a permitir que a gordura seja queimada novamente.  É claro que pode haver um aumento de peso em função dos alimentos ingeridos nesse período de quebra da dieta, mas depois o corpo volta a reduzir e queimar gordura.  É o que chamam de “dia do lixo”.  Eu acho até que faz bastante sentido.  Eu não faço nada de errado e meu peso não desce já faz quase 2 meses.  Vejo várias meninas contando que extrapolaram um pouco e, na próxima semana, já começaram a perder peso de novo.

Então, neste final de semana, resolvi jacar!  Eu sei, parece loucura, mas eu assumi os riscos e comi mesmo.  Bife à parmegiana, pizza, pipoca e fechei com churrascaria no domingo.  Só não comi doces porque não queria quebrar a minha intenção de ficar sem até chegar ao meu objetivo.  Meu corpo deve estar achando que a velha e gorda dona Iê retornou ao meu cerebrinho, mas nananinanão... Foi estrategicamente pensado e hoje já retomei a dieta.  Espero retomar os exercícios amanhã!

Não posso negar que aproveitei bem o final de semana...Comi como não comia há quase 6 meses.  Confesso que fiquei meio estufada e me sentindo pesada, mas que aproveitei, aproveitei.

Não vou me pesar na próxima sexta.  Sei que o peso deve ter aumentado e não quero me desanimar.  Vou me pesar só no dia  4 de novembro para ver se essa estratégia (em conjunto com as demais que vou colocar em prática) surtiu algum efeito.  Tomara que sim!

Aproveito o post para dizer que leio os blogs de todas, mas não tenho tido tempo para comentar (e nem para postar).  Não quero ficar longe de vocês, pois realmente a força que me dão é fundamental nesses momentos difíceis.

Uma linda semana a todas e obrigada por estarem sempre por aqui...
Beijos,